Vereador de Miraguaí nega que tenha atuado com poderes de secretário

24/08/2018

Parte da propaganda eleitoral do vereador (Reprodução)
Parte da propaganda eleitoral do vereador (Reprodução)

Antes de mais nada:
É importante ressaltar que esse é um blog pessoal, registrado em meu nome,  sob a inteira responsabilidade do autor, no caso eu, ou seja, ele é escrito, editado e editorado pela minha pessoa. 


Ontem, 22 de agosto, segundos após publicar o artigo no qual dei cabo da denúncia de que o vereador Fabiano Mewes estava atuando com poderes de secretário junto a saúde de Miraguaí, de maneira informal, já que para ser nomeado ele deveria se licenciar da câmara, o mesmo escreveu comentários em minha página pessoal no facebook e posteriormente apagou esses comentários e me chamou no privado para explicar a situação.


Para dar razão ao bom jornalismo, vamos aos argumentos do vereador:
Ele disse que nunca atuou com os poderes de secretário, que era apenas um servidor público. (escreveu)"o prefeito municipal por questão de contenção de gastos optou por não nomear secretario na secretaria da saúde e da agricultura sendo ele mesmo gestor das respectivas secretarias, delegando responsabilidades a servidores efetivos das mesmas para que organize e realize os trabalhos, visando a economia, porém, todas as decisões a recursos e a pessoal são tomadas pelo próprio prefeito."

Recebemos hoje a informação que a secretaria de agricultura, a qual o vereador se refere, também está com os préstimos de um servidor/vereador, no caso José Valdines Andreatta, o Milico, PTB. Na pasta, também, pelo menos cinco pessoas do município, que entraram em contato comigo, afirmam que o mesmo está imbuído dos poderes de secretário.

Quando questionei o vereador Fabiano se ele dava ordens ao restante da equipe? Ele respondeu: (escreveu) "organizar trabalho junto com a equipe não é dar ordens, como já te frisei cada um organizava a sua parte. (...)salientando mais uma vez eu respondia pela parte da produção. eu coordenava isso"produção" o enfermeiro coordena os ESF, a assistente social e a psicóloga coordena os grupos, a auxiliar administrativo coordena o agendamento de consultas, exames e agenda dos transportes dos pacientes."
Resumindo, na versão do nobre edil a única coisa que ele coordenava era a produção. Ele não era responsável pela secretaria, era apenas um servidor comum como os demais.


O vereador também demonstrou certa irritabilidade porque usei o termo "secretário fantasma" para retratar que ele estava no local como secretário, sem ser nomeado para mascarar a ilegalidade de sua função, e disse que eu devia ter usado a palavras "suposto". (escreveu)"como lhe disse "suposto" é diferente de "ser" o Sr colocou vereador "é"."
Como os senhores leitores podem notar, além de vereador, servidor público e "suposto" secretário, ele agora quer uma vaga de editor aqui no blog...


Tire suas próprias conclusões...


EM TEMPO
Confirmado pelo próprio, ele já não desempenha mais suas funções junto a Secretaria de Saúde de Miraguaí. Foi transferido para a Secretaria de Planejamento.
Até o fechamento desse artigo não havia recebido ainda informações de quem será o próximo "não secretário", que "não" comandará o pessoal e "não" será responsável pela pasta.