Justiça para Bernardo

18/03/2019

Como se fosse final de novela das 8 da Globo dos anos 90, a região acompanhou atentamente o resultado do julgamento do Caso Bernardo ocorrido em Três Passos na última semana. (Motivo pelo qual não atualizei o blog).


No final, todos os réus foram considerados culpados pela morte do menino. O senso comum é que a pena foi amena em relação ao crime, no entanto, creio eu, que a maior sentença será o carimbo de serem considerados os assassinos de uma criança de 11 anos. 

- Leandro Boldrini: Foi condenado a 33 anos e oito meses de reclusão.

Do total, 30 anos e oito meses são por homicídio qualificado (motivo fútil, com emprego de veneno e mediante dissimulação); dois anos por ocultação de cadáver e um ano por falsidade ideológica.

- Graciele Ugulini: Foi condenada a 34 anos e sete meses de prisão.

Do total, 32 anos e oito meses por homicídio qualificado (motivo fútil, com emprego de veneno e mediante dissimulação) e um ano e 11 meses por ocultação de cadáver.

- Edelvânia Wirganovicz: Foi condenada a 22 anos e dez meses de reclusão.

Do total, 21 anos e quatro meses por homicídio qualificado (emprego de veneno e mediante dissimulação), e mais um ano, seis meses e 14 dias por ocultação de cadáver.

- Evandro Wirganovicz: Foi condenado a nove anos e seis meses de prisão.

Do total, oito anos são por homicídio simples e um ano e seis meses por ocultação de cadáver. Como Evandro já cumpriu parte da pena, a magistrada determinou que o restante da condenação seja em regime semiaberto.

Leandro, Graciele e Edelvânia cumprirão a pena em regime fechado inicialmente. O Ministério Público e as defesas ainda poderão recorrer da decisão.