Atendimento ao público

07/08/2018

Nesta semana a Rádio Província recebeu uma denúncia de um atendimento feito por um servidor público do município onde ele é extremamente grosseiro e ríspido com uma cidadã que buscava respostas junto aquele departamento.
O jornalista Jalmo Fornari usou o assunto em um dos seus comentários no Pra Começo de Conversa, que vai ao ar na 100,7 FM, de segunda à sexta-feira às 11h45min, e para a surpresa do nosso departamento de jornalismo outros funcionários ligaram tentando explicar a suas atitudes. O detalhe é que aqueles que ligaram nem eram os alvos da denúncia e do comentário. Foi a prova viva do ditado popular do "se o chapéu serviu".
A verdade é que esse chapéu se encaixa perfeitamente na cabeça de muitos servidores públicos. Quem, dos senhores que está lendo esse editorial, pode afirmar que nunca foi mal atendido em uma repartição pública? Seja por atitudes extremamente ríspidas ou por uma expressa falta de vontade do servidor em lhe ouvir e ou lhe ajudar.
A entrada no serviço público brasileiro tornou-se ao longo dos anos em sinônimo de estabilidade profissional, dado as regras trabalhistas atuais, lhe garantindo um soldo muitas vezes acima do mercado e garantia de aposentaria com todos os benefícios, ou seja, entrar para o serviço público tornou-se um bom negócio para qualquer pessoa, basta observarmos o número de candidatos que se inscreveram para o concurso público de Tenente Portela que ocorrerá em breve.
Muitos servidores públicos estão imbuídos de suas funções e cumprem a regra essas, da maneira com que se espera de alguém com cargo público, ou seja, servem o público. São pessoas comprometidas com seus trabalhos e o fazem com a excelência de seus desempenhos. Merecem o cargo que ocupam e o salário que recebem.
No entanto, há um grupo inteiramente grande que vê no serviço público apenas uma maneira de colocar os "burros na sombra" e aproveitar todos os benefícios que a função pode lhe oferecer, acreditando que estão acima dos demais cidadãos comuns que procuram pelos seus serviços.
O servidor público recebe seus vencimentos através do dinheiro público, sendo assim, é importante que ele tenha consciência que o seu patrão é o público. Quando ele trata mal um cidadão que procura seus serviços, está tratando mal o seu próprio patrão o que jamais ocorrerá sem consequência no setor privado.
Por isso os países que adotam a meritocracia no serviço público alcançam maior excelência nos serviços prestados, porque é inegável que existem servidores públicos que merecem ganhar mais e outros que ficam devendo quando o assunto é cumprir suas funções como servidores públicos.